Os 4 Animais Diante do Trono

E-mail Imprimir PDF
Avaliação do Usuário: / 7
PiorMelhor 

Sandoval Juliano

                                                                                                                        

> Apocalipse 4:6 - ... E no meio do trono, e ao redor do trono, quatro animais cheios de olhos, por diante e por detrás.

Quantas vezes passei por essa leitura sem parar para perguntar quem são esses "animais" e porque eles vivem ininterruptamente NO MEIO E AO REDOR DO TRONO.

Os dois versículos seguintes descrevem as características desses seres adoradores. Eles são, a princípio, estranhos, ou seja, têm uma aparência estranha. Eles são assim:

> Apocalipse 4:7 - E o primeiro animal era semelhante a um leão, e o segundo animal semelhante a um bezerro, e tinha o terceiro animal o rosto como de homem, e o quarto animal era semelhante a uma águia voando.

> Apocalipse 4:8 - E os quatro animais tinham, cada um de per si, seis asas, e ao redor, e por dentro, estavam cheios de olhos; e não descansam nem de dia nem de noite, dizendo: Santo, Santo, Santo, é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, que era, e que é, e que há de vir.

As características deles apontam, primeiramente para os serafins de Isaías 6:

> Isaías 6:2,3 - Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam os seus rostos, e com duas cobriam os seus pés, e com duas voavam. E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.

Também apontam para os querubins da visão de Ezequiel 1:

> Ezequiel 1:5 - E do meio dela saía a semelhança de quatro seres viventes. E esta era a sua aparência: tinham a semelhança de homem.

> Ezequiel 1:10 - E a semelhança dos seus rostos era como o rosto de homem; e do lado direito todos os quatro tinham rosto de leão, e do lado esquerdo todos os quatro tinham rosto de boi; e também tinham rosto de águia todos os quatro.

> Ezequiel 10:12 - E todo o seu corpo, as suas costas, as suas mãos, as suas asas e as rodas, as rodas que os quatro tinham, estavam cheias de olhos ao redor.

Os anjos são descritos na Bíblia como seres espirituais criados por Deus e para o serviço dEle e se dividem em categorias, de acordo com o serviço ou finalidade. Dentre eles têm aqueles que pertencem à categoria dos querubins, dos serafins, arcanjos e os que são simplesmente chamados de anjos.

Pela harmonia entre os textos de Apocalipse 4, Isaías 6, Ezequiel 1 e Ezequiel 10, podemos dizer que os quatro ANIMAIS que João viu, no capítulo 4 são os serafins de Isaías 6 e que recebem o nome, também de querubins em Ezequiel.

Parece-nos tratar de mesmos seres com nomes diferentes. Ou seja, não conseguimos discernir a diferença entre um serafim e um querubim. Possivelmente, trata-se da mesma pessoa.

O que há de interessante nas visões de Isaías, Ezequiel e João é que esses seres viventes têm uma característica diferente de todos os demais seres angelicais. Pela proximidade que eles têm de Deus, poderíamos afirmar que eles integram a divindade. Em Isaías, eles estão sobre o trono, em Ezequiel eles transportam o trono, e em Apocalipse eles estão no meio e ao redor do trono de  Deus. Isto nos leva a concluir que são seres que existem ali como expressão da natureza de Deus. Ou seja, os quatro "animais" representam quatro aspectos da natureza de Deus, portanto, eles fazem parte do ser de Deus.

QUAIS SÃO OS 4 ASPECTOS DA NATUREZA DIVINA REVELADOS NA PERESENÇA CONSTANTE DOS 4 SERES ANGELICAIS VISTO POR ISAÍAS, EZEQUIEL E POR JOÃO EM APOCALIPSE?

I. O PRIMEIRO TINHA ROSTO DE LEÃO

            1. O "rei dos animais" ou "rei da selva", por sua vitalidade e valentia, é usado como figura para a atuação de Cristo, depois de ter ressuscitado dentre os mortos. Enquanto homem, por seu propósito salvífico, a figura usada por Jesus foi a de um cordeiro. Mas, como aquele que enfrentou o pecado, o diabo e a morte, Jesus é representado como o leão. Dele é dito no capítulo 5 de Apocalipse que Ele é "o leão da tribo de judá".

          2. O leão é a figura da majestade -  Jesus é apresentado em Apocalipse como o "rei dos reis e senhor dos senhores".

          3. O leão é, também, o símbolo da coragem e da proteção - É dito em inúmeras passagens nas Escrituras que o nosso Deus é valente, guerreiro, Senhor dos Exércitos, aquele que peleja por nós.

II. O SEGUNDO TINHA O ROSTO DE UM BEZERRO

          1. O bezerro ou novilho foi um animal muito utilizado em sacrifícios nos tempos do Antigo Testamento.

> 1 Reis 18:32,33 - E com aquelas pedras edificou o altar em nome do SENHOR; Então armou a lenha, e dividiu o bezerro em pedaços, e o pôs sobre a lenha.

          2. O ser angelical com o rosto semelhante a um bezerro revela o aspecto sacrificial da natureza de Deus. Ele revela-se como aquele que entrega sua força e poder em sacrifício por aqueles a quem Ele ama.

          3. Ele tomou sobre si nossas enfermidades, para que ficássemos sãos; Ele se fez maldito para que fôssemos benditos; Ele se tornou pobre nos tornemos ricos; Ele morreu para que vivèssemos.

II. O TERCEIRO TINHA O ROSTO COMO DE UM HOMEM

          1. Este ser angelical fala do outro aspecto da natureza divina, fala da relação intrínseca que existe entre Deus e o homem. Fala do interesse que Deus tem pelo ser humano.

          2. Deus criou o homem à sua imagem e semelhança. Nenhum outro ser criado por Deus tem essa característica. Isto nos diz que somos da mesma espécie de Deus.

          3. E por essa proximidade e relação existente entre Deus e o homem; e, para facilitar o entendimento do que se passa na alma do ser humano; e, para compreender a fraqueza do homem... Deus se fez carne e habitou entre nós, tornou-se homem, unindo a natureza humana à natureza divina, acrescentando à natureza divina a natureza humana.

          4. Em consequência deste ato de amor de Deus para com o homem, hoje, através da pessoa de Jesus Cristo, Deus pode compreender perfeitamente a natureza humana

> Hebreus 7:25 - Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.

IV. O QUARTO ERA SEMELHANTE À UMA AGUIA VOANDO

          1. A águia é a rainha das aves. Ela tem características e um estilo único. Que bela ave para falar-nos de mais um aspecto de Deus.

           2. Primeiro pelo alcance da sua visão - A águia vê longe e vê perfeitamente. Ela consegue enxergar um rato no chão, mesmo estando a 5 mil metros de altura.

> Hebreus 4:13 - E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar.

          3. Pela sua capacidade de renovação - A águia tem uma média de vida de 70 anos. Quando ela chega aos 40 anos de vida, seu bico, suas garras e suas asas já estão bastante velhos e impedem seu vôo e sua capacidade predatória. Então a águia esfrega seu bico e suas garras em um paredão de uma rocha até que estes venham a se soltar. Ela faz o mesmo com suas penas, arranca uma por uma para que possa nascer uma nova plumagem. Este processo chega a durar 5 meses. Mas, depois de renovada, ela vive ainda mais 30 anos.

          3.1. Isto fala da eternidade de Deus. Deus não envelhece, não muda, não é vencido nem afetado pelo tempo.

> Isaías 40:28 - Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento.

> Hebreus 13:8 - Porque Ele é o mesmo ontem, hoje e será para sempre.

          4. Pela sua capacidade de ensinar seus filhos a voar - Quando percebe que está na hora de tirar o filhote do ninho, a águia o pega com as suas garras e o leva a uma imensa altura. Então ela o solta... Quando ele está prestes a se esborrachar no chão, ela passa muito rapidamente por baixo dele e o ampara em suas asas... Depois de duas ou três tentativas o filhote equilibra suas asas e faz o seu primeiro vôo.

> 2 Coríntios 4:17 - Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente;

Assim, esses 4 seres viventes, a quem Ezequiel identificou como querubins, expressam 4 aspectos da natureza de Deus. Eles revelam como Deus inclina-se para o mundo, como fala ao mundo e como entrega-se para o mundo. Eles falam da capacidade que Deus tem de se relacionar com suas criaturas, do cuidado que tem pelo homem, de sua imutabilidade, do seu poder, do alcance do seu amor.

Diante desta revelação, lembro-me do Salmista do Salmo 139 exaltando a Deus e dizendo:

> Salmo 139:17,18 - E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grandes são as somas deles! Se as contasse, seriam em maior número do que a areia; quando acordo ainda estou contigo.

Uma tradução inglesa destes dois versículos diz assim:

> Salmo 139:17,18 - Quão precioso é para mim, Senhor, compreender que pensas em mim constantemente. Nem mesmo posso contar quantas vezes por dia teus pensamentos se voltam para mim. E, quando acordo pela manhã, tu ainda continuas pensando em mim.

Em Cristo, Sandoval Juliano - 21 de junho de 2013.

Comentários
Adicionar novo Busca
MATHEUS LIMA  - Parabéns   |05-04-2014
Perfeita interpretação amado gostei muito
Marinete  - Muito boa sua interpretação. Deus o abençoe.   |04-06-2014
Muito boa sua interpretação. Deus o abençoe.
alexandre   |27-06-2014
joinha ficou
Comentário ...
Nome:
E-mail:
 
Website:
Título:
UBBCode:
[b] [i] [u] [url] [quote] [code] [img] 
 
 
:angry::0:confused::cheer:B):evil::silly::dry::lol::kiss::D:pinch:
:(:shock::X:side::):P:unsure::woohoo::huh::whistle:;):s
:!::?::idea::arrow:
 
Por favor coloque o código anti-spam que você lê na imagem.
  <== VOLTAR

Banner

Últimas do fórum

Últimos comentários

Acesso restrito

Visitantes on-line

Nós temos 355 visitantes online

Receber informativos