A Parábola Acerca da Providência

E-mail Imprimir PDF
Avaliação do Usuário: / 23
PiorMelhor 

Sandoval Juliano

 

A Parábola Acerca da Providência encontra-se registrada em Lucas 14:25-35

 
  Lc 14:25 Ora, ia com ele uma grande multidão; e, voltando-se, disse-lhe:
  Lc 14:26 Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo.
  Lc 14:27 E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode ser meu discípulo.
  Lc 14:28 Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?
  Lc 14:29 Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele,
  Lc 14:30 Dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar.
  Lc 14:31 Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil?
  Lc 14:32 De outra maneira, estando o outro ainda longe, manda embaixadores, e pede condições de paz.
  Lc 14:33 Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo.
  Lc 14:34 Bom é o sal; mas, se o sal degenerar, com que se há de salgar?
  Lc 14:35 Nem presta para a terra, nem para o monturo; lançam-no fora. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

 

Jesus observava a multidão que O acompanhava e sabia que entre eles, bem poucos, permaneceriam nas Suas pisadas até o fim. Na época de Cristo já tinha o grupo do oba-oba, daqueles que seguem a Jesus por algum interesse relacionado à esta vida terrena e material.

Se você pudesse seguir a alguém que tem a capacidade de sondar seus pensamentos e intenções, como você se comportaria? Aquele povo tinha o perfil descrito em - Is 29:13 . Eles seguiam ao Mestre, com o coração distante de Deus.

Jesus, então, lhes propôs uma parábola acerca da providência, falando sobre a necessidade que existe em se tomar uma decisão objetiva, calculada e amadurecida, para segui-Lo e para servi-Lo. Para ser de Jesus, basta crer nEle e O aceitar em seu coração. Para segui-Lo e para servi-Lo não é tão simples assim.

Quantos casos de pessoas que tomaram a decisão de deixar tudo e passar a viver exclusivamente para a obra de Deus sem ter idéia do que lhes esperava! Quantos que voltaram decepcionados, arrasados e até com sua fé destruída!

Servir a Jesus é um negócio que não dá lucro! A menos que  se esteja "servindo a Jesus" com o pensamento da mãe de Tiago e de João que esperava favorecimentos políticos como resultado da dedicação dos filhos dela.

A obra de Deus é, talvez, o empreendimento que, em caso de fracasso, mais decepção causa a uma pessoa. Todos os que  ingressam na obra de Deus, vão cheios de fé e entusiasmo. Porque sabem, ou porque acreditam que Deus não deixará de suprir as necessidades de Sua obra e nunca decepcionará um servo Seu. Jargões como: "Ele é o Dono da Obra!" ou "Ele é o Dono da prata e do ouro!", ou ainda: "Posso todas as coisas naquele que me fortalece"... São frases de efeito que estão muito presentes nos lábios dos servos do Senhor.

Jesus nunca iludiu ninguém com promessas fantasiosas de sucesso e de prosperidade. Jesus não queria seguidores a todo custo, nem a qualquer custo. "No mundo tereis aflições", "Eu vos envio como ovelhas ao meio de lobos", estas sim, são as frases que o Senhor proferiu quando convocou alguns para serem seus discípulos.

Não existe um homem ou mulher de Deus que tenha se disposto a fazer a obra de Deus que não tenha passado por inúmeras privações e provações - 2Tm 3:12 . É bem verdade que existem aqueles que prosperaram e se tornaram ícones no mundo evangélico, mas, vai ler a biografia deles para você ver por onde passaram...

O Senhor Jesus disse que ao final ganharíamos 100 vezes mais, porém, no início, "sereis odiados e perseguidos por muita gente". O que muitos pregadores de ilusões não têm coragem de falar em seus lindos sermões é que, para se chegar aos "100 vezes mais", primeiro teríamos que passar por "Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo". E, ainda, em alguns casos, seria necessário "... aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida..." Ora, quem aborrece a sua própria vida em função de um projeto, não está esperando lucro em função desse investimento. Deus, que é justo, terminha por recompensar àqueles que se entregam ao Seu Reino. Mas, só chega lá, quem O serve desinteressadamente.

Como um homem que iniciou a construção de uma torre sem ter feito um orçamento e um planejamento  adequados e, depois passou vergonha diante de uma obra inacabada, aquele que ingressa no serviço do Reino precisa estar maduro o suficiente para entender o quanto precisará de recursos espirituais para chegar ao ponto de ser reconhecido como um "Daniel Berg ou um Gunnar Vingrem"

Como um rei que foi à guerra ignorando a força do inimigo e que só depois de ter ido percebeu que não tinha condições mínimas de vencer a batalha, assim é com aquele que "sai de sua terra e do meio de sua parentela" e vai "à terra que eu te mostrarei" sem estar preparado para tal decisão... ou, sem ter sido enviado, de verdade, como o foi Abraão.

Quantos obreiros que têm perdido sua família por causa de um projeto mal calculado! Quantos que colocam em risco um projeto missionário de uma igreja porque vão sem estarem capacitados para tal projeto!

Fazer a obra de Deus é muito sério e é necessário que o obreiro seja treinado, polido, burilado, testado, para poder ser enviado, principalmente se for para um campo missionário no exterior. Deus só enviou Moisés depois que ele aprendeu a cuidar de ovelhas em um deserto.

Jesus deixou bem claro, através desta parábola, que não quer que façamos Sua Obra sem o devido preparo. A Igreja tem que entender isto. Temos que parar de consagrar um monte de obreiros sem ter passado pelos "três anos e meio de discipulado com o Mestre". Paulo só foi chamado para o ministério do apostolado, em Atos 13, depois de quatorze anos de conversão.

Sabe como Jesus encerra esta parábola? - Comparando o obreiro que fracassou com o sal que perdeu suas propriedades - Lc 14:34 .

"Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!"

 

Em Cristo, Pb. Sandoval Juliano - 05.10.2010.

Comentários
Adicionar novo Busca
Adriano  - Excelente!!   |10-05-2011
parabéns presbitero....muito bom o texto...nos mostra a realidade que mitas
igrejas escondem...um abraço e fica na paz
Luis Fernando  - Vou usar   |09-08-2011
Graça e Paz! Tenho uma leitura muito parecida com a do irmão, quanto aos
fatos. Gostei!
Vou usar algumas das suas observações quando for oportuno .
manuel neto   |13-05-2013
a paz do senhor ..gostei muito desse texto,,eu estava estudando essa passagem
e me deparei com esse texto ótimo
Rafaella   |03-08-2013
amém graças a Deus, gostei bastante desta análise da parábola.. uma benção
para nossa vida. Deus continue abençoando
Comentário ...
Nome:
E-mail:
 
Website:
Título:
UBBCode:
[b] [i] [u] [url] [quote] [code] [img] 
 
 
:angry::0:confused::cheer:B):evil::silly::dry::lol::kiss::D:pinch:
:(:shock::X:side::):P:unsure::woohoo::huh::whistle:;):s
:!::?::idea::arrow:
 
Por favor coloque o código anti-spam que você lê na imagem.
 

Banner

Últimas do fórum

Últimos comentários

Acesso restrito

Visitantes on-line

Nós temos 279 visitantes online

Receber informativos