Analisando a Música "Como Zaqueu..."

E-mail Imprimir PDF
Avaliação do Usuário: / 33
PiorMelhor 

Sandoval Juliano

 

Navegando pelo blog do Pastor Ciro Sanches Zibordi, encontrei um texto que tem sido comentado por várias pessoas e que faz uma análise crítica do hino "Como Zaqueu". Segue abaixo o texto na sua íntegra. Leia-o e diga se você concorda ou não com o que o pastor Ciro expôs.

Alguns internautas têm me instigado a analisar a composição “Faz um milagre em mim”. Eu vinha evitando fazer isso, a fim de não provocar a ira dos fãs do cantor que interpreta esse hit “evangélico”. Afinal, vivemos em uma época em que dar uma opinião à luz da Bíblia desperta a fúria daqueles que dizem ser servos de Deus, mas são, na verdade, fãs, fanáticos e cristãos nominais.

Resolvi, pois, atender os irmãos que desejam obter um esclarecimento quanto ao conteúdo da canção mais cantada pelo povo evangélico na atualidade, a qual começa assim: “Como Zaqueu, eu quero subir o mais alto que eu puder”.

Primeira pergunta para reflexão: Zaqueu, quando subiu na figueira, era um seguidor de Jesus, um verdadeiro adorador? Não. Ele era um chefe dos publicanos, desobediente a Deus e corrupto (Lc 19.1-10). Nesse caso, como um crente em Jesus Cristo, liberto do poder do pecado, pode ainda desejar ser como Zaqueu, antes de seu maravilhoso encontro com Jesus?

Segunda pergunta para reflexão: Por que Zaqueu subiu naquela árvore? Ele estava sedento por salvação? Queria, naquele momento, ter comunhão com Jesus? Não. A Palavra de Deus afirma: “E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando. E eis que havia ali um varão chamado Zaqueu; e era este chefe dos publicanos, e era rico. E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura” (Lc 19.1-3). Ele não subiu na figueira porque estava desejoso de ter comunhão com Jesus, mas porque estava curioso para vê-lo.

Terceira pergunta para reflexão: O verdadeiro adorador deve agir como Zaqueu, ou como o salmista, que, ao demonstrar o seu desejo de estar na presença de Deus, afirmou: “Como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo: quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?” (Sl 42.1,2)? Será que o pecador e enganador Zaqueu tinha a mesma sede do salmista? Por que um verdadeiro adorador desejaria ser como Zaqueu?

Mas o hit “evangélico” continua: “Só pra te ver, olhar para ti e chamar sua atenção para mim”. Outra pergunta para reflexão: Será que precisamos subir o mais alto que pudermos para chamar a atenção do Senhor? Zaqueu, segundo a Bíblia, subiu na figueira por curiosidade. Mas Jesus, olhando para cima, lhe disse: “Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa” (Lc 19.5). Observe que não foi Zaqueu quem chamou a atenção de Jesus. Foi o Senhor quem olhou para cima e viu aquele pecador perdido e atentou para ele (cf. Mt 9.36).

A atitude de Zaqueu que nos serve de exemplo não foi o subir, e sim o descer, para atender o chamamento de Jesus: “E, apressando-se, desceu, e recebeu-o gostoso” (Lc 19.6). Por conseguinte, pergunto: O adorador, salvo, transformado, precisa subir para chamar a atenção de Jesus? Não. Na verdade, o Senhor está com o contrito e abatido de espírito (Is 57.15). Espiritualmente falando, Ele atenta para quem desce, e não para quem sobe (Sl 138.6; Lc 3.30).

Mais uma pergunta para reflexão: Se a atitude que realmente recebe destaque, na história de Zaqueu, foi a sua descida, por que a canção enfatiza a sua subida? O mais lógico não seria cantar “Como Zaqueu, eu quero descer”? Reflitamos. Afinal, como diz uma frase que circula na grande rede, o Senhor Jesus morreu para tirar os nossos pecados, e não a nossa inteligência.

A composição não é de todo condenável, pois o adorador que se preza deve mesmo cantar: “Eu preciso de ti, Senhor. Eu preciso de ti, ó Pai. Sou pequeno demais, me dá a tua paz”. Mas, a frase seguinte provoca outra pergunta para reflexão: “Largo tudo pra te seguir”. Estamos mesmo dispostos a largar tudo para seguirmos ao Senhor? E mais: É preciso mesmo largar tudo para segui-lo?

O que o Senhor Jesus nos ensina, em sua Palavra? Em Mateus 16.24, Ele disse: “Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me”. Renunciar não é, necessariamente, abandonar, largar, mas pôr em segundo plano. A própria família pode ser um obstáculo para um adorador. Deve ele, nesse caso, largá-la, abandoná-la? Claro que não! Renúncia equivale a priorizar uma coisa em detrimento de outra.

Não precisamos largar a família, o emprego, etc. para seguir o Senhor! Mas precisamos considerar essas coisas secundárias ante a relevância de priorizar a comunhão com Jesus (Mt 10.27). Nesta última passagem vemos que o adorador deve amar prioritariamente o Senhor Jesus, mas sem abandonar tudo para segui-lo! Não confundamos renúncia com abandono. O que devemos largar para seguir a Jesus é a vida de pecado, e não tudo.

A canção continua: “Entra na minha casa. Entra na minha vida”. O compositor se refere a Zaqueu, mas não foi este quem convidou o Senhor para entrar em sua casa. Na verdade, foi Jesus quem lhe disse: “Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa” (Lc 19.5). Nota-se, pois, que esta parte da canção não é essencialmente cristocêntrica, e sim antropocêntrica. Mais uma pergunta para reflexão: O hit em apreço prioriza a obra que Jesus faz na vida do pecador, ou dá mais atenção ao que o homem, o ser humano, faz para conseguir o que deseja? A canção enfatiza a Ajuda do Alto, ou
a autoajuda?


Outra pergunta: Um verdadeiro adorador, um servo de Deus, alguém que louva a Jesus de verdade, que canta louvores ao seu nome, não é ainda uma habitação do Senhor? Por que pedir a Ele que entre em nossa casa e em nossa vida, se já somos moradas de Deus (Jo 14.23; 1 Co 6.19,20)?

A parte mais contestada da composição em apreço sinceramente não me incomoda muito: “Mexe com minha estrutura. Sara todas as feridas”. Que estrutura seria essa? No Salmo 103.14 está escrito: “... ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó”. Deus, é claro, conhece-nos profundamente. Ele conhece a totalidade do ser humano: espírito, alma e corpo (1 Ts 5.23; Hb 4.12). Creio que o compositor tomou como base o que aconteceu com Zaqueu. O seu encontro com o Senhor mudou a sua vida por completo, “mexeu com a sua estrutura” (Lc 19.7-10). Deus faz isso na vida do pecador, no momento da conversão, e continua a transformar os salvos, a cada dia (2 Co 3.18).

Quanto a sarar feridas, o Senhor Jesus de fato nos cura interiormente. Mas não pense que estou aqui defendendo a falsa cura interior, associada a regressão psicológica, maldição hereditária, etc. Não! O Senhor Jesus, mediante a Palavra de Deus e a ação do Espírito Santo, cura os quebrantados do coração, dando-lhes uma nova vida (Lc 4.18; 2 Co 5.17).

Diz ainda a canção: “Me ensina a ter santidade. Quero amar somente a ti. Porque o Senhor é o meu bem maior”. Sendo honesto e retendo o que é bom na composição (1 Ts 5.21), Deus, a cada dia, nos ensina a ser santos, em sua Palavra (Hb 12.14; 1 Pe 1.15-25). Além disso, Ele é, sem dúvidas, o que temos de mais precioso mesmo e, por isso, devemos amá-lo acima de todas as coisas (2 Co 4.7; Lc 10.27).

Quanto à última frase “Faz um milagre em mim”, o compositor comete o mesmo erro de português constante da campanha de publicidade da Embratel: “Faz um 21”. Na verdade, no caso da canção o correto seria: “Faze um milagre em mim”. E, no caso da Embratel: “Faça um 21”. Quer saber por quê? Aí já é querer demais, não é? Investigue, pesquise, caro internauta, principalmente se você é um editor de blog. Conhecer o vernáculo é uma necessidade de quem lida com textos.

Diante do exposto, que os pecadores, à semelhança de Zaqueu, desçam, humilhem-se, a fim de receberem a gloriosa salvação em Cristo (Lc 18.9-14). E quanto a nós, os salvos, os verdadeiros adoradores, em vez de subirmos o mais alto que pudermos, que também desçamos a cada dia, humilhando-nos debaixo da potente mão de Deus (1 Pe 5.6), a fim de que Ele nos ouça e nos abençoe (2 Cr 7.14,15).

Amém?

Ciro Sanches Zibordi

Comentários
Adicionar novo Busca
Eliézio Ferreira   |18-05-2009
Ao ler o texto acima no primeiro momento eu quase concordei com a infeliz
analise do irmão (Sanches). Porem ao me aplicar mais um pouco a leitura e a
maneira que o compositor da musica quis expor sua mensagem,
pude verificar que
é muito fraco o seu arrgumento, gostaria de até expor minha opinião no blog
dele, porem se eu me expresasse a ele, o mesmo certamente não iria postar
minha resposta pois o blog é manipulado e ele só permite textos que o promova.
Sandoval Juliano   |18-05-2009
Utilize este espaço, que é bem democrático e que vai trazer para o nosso
círculo de "amigos" uma elucidação daquilo que você acha que não é
coerente no texto do Pr. Ciro Sanches.
Paula   |26-05-2011
Não concordo com este argumento do caro pastor Ciro.
Esta canção é bem clara
quanto a situação do personagem,não fica dúvida.Mesmo porque na passagem que
relata a curiosidade de Zaqueu,não foi por acaso,nada é por acaso na
bíblia,tudo tem seu significado,aqueles que buscam sabedoria para entender
,entendem.Neste caso acredito que esta curiosidade de certa forma foi
impulsionada pelo arder no coração,pelo chamado do espírito,pelo desejo
realmente de conhecer jesus.O que a canção enfatiza é este desejo que devemos
ansiar por conhecer jesus.E também tem uma passagem na bíblia onde diz que
quando sentimos o desejo de conhecer jesus é porque ele nos chamou
primeiro,acredito que a mensagem é esta ,jesus chamou zaqueu primeiro,por isso
o desejo de conhecê-lo a ponto de subir numa árvore.Vale lem brar que Zaqueu
era um homen rico ,e devia ser vergonhoso para ele subir numa árvore,o que era
comum somente par...
ken   |12-11-2011
é muito pretensioso esse artigo,só porque o cantor faz (fez) sussesso com essa
musica,ele fez essa critica.
pra subir numa figueira deve ter sido muito
difícil pra ele.mostra o quanto de curiosidade e de vontade em ver a cristo ,o
homem que operava maravilhas.
e pra descer.
aprendemos com essa passagem e com
Zaquel que temos que descer depreça.rs..subir seria só pra só aforma como o
cristão não deve fazer.pra cristo te visitar é preciso decer.Zaquel aprendeu
isso e nós tambem.amem
Wanderson   |19-05-2009
Uma pergunta estamos análisando a letra da música (Faz um milagre em mim) ou
Texto em si feito pelo pastor Ciro Sanches Zibordi ?
Sandoval Juliano   |19-05-2009
As duas coisas. Mas, especialmente o texto que contém uma análise e que
contém teses, afirmações e críticas contra um hino que nos faz chorar
enquanto cantamos...
Wanderson   |19-05-2009
Diante desse informação irei reformula a minha resposta, tentando fundamenta o
meu entendimento e dizer o porque concordei com a análise da letra da música
feita pelo pastor Ciro Sanches Zibordi.

Em Cristo Wanderson
Sandoval Juliano   |19-05-2009
Meu Deus! Como me admira a falta de disposição do nosso povo em dissecar
qualquer que seja o tema que propomos aqui nesse site! Queremos tudo
mastigadinho, ninguém quer se dar ao trabalho de pensar, ler de novo,
questionar... Que foi que fez isso com a gente? Quem foi que imprimiu em nós a
cultura do medo de manifestar nossa opinião? A quem vocês temem, afinal?
Um
hino que nossos jovens cantam todos os dias em nossas igrejas e que nos conduzem
a um momento de adoração é bombardeado na internet e ninguém sabe dizer se o
Pr. Ciro Sanches está certo ou errado. Ou será que é preguiça de ler o texto
"enorme" que ele publicou?
Ah Meu Deus! até quando?
Oliveira, W.  - Análise das análises   |20-05-2010
Não tenha por arrogancia o título, mas a pretenção é analisar ambos os
textos sobre a tão citada canção.

Em leitura critica, e levando
em consideração (após várias leituras dos textos) o contexto biblico,
estou convencido que grande parte do texto do Pr Ciro
está correto.

Quando Zaqueu sobe na árvore, na verdade ele está
usando os recursos que estão disponíveis para ver a Jesus.

Entendo
até que, apesar da condição de pecador, ele tivesse boa intenção
para ver à Cristo e não mera curiosidade.

Não obstante, Cristo deseja
se apresentar à nós de modo muito mais próximo que aquele que
nossos recursos propiciam.

O conselho de Jesus foi: Desce depressa!
Deixe seus recursos limitados e venha para perto de mim!

Poderia,
então, surgir a pergunta: "Não vale a pena usar todos os
nossos recursos ...
Eliézio Ferreira   |20-05-2009
Observando a historia de Zaqueu, trazendo uma visão humana, surge uma pegunta:
Por que Zaqueu precisaria de Jesus? Visto que era rico tinha uma posição
social elevada, porem analisando os por menores de sua caminhada em direção ao
mestre, podemos verificar que o vazio que havia na alma de Zaqueu, nem sua
posição nem seu dinheiro nem nada do que ele tinha e era, tinha o poder que
seria capaz de preencher o vazio, a lacura a brecha, que havia em sua vida,
porem impulsionado pela carencia, pela escacez de amor e vida justa, crendo que
Jesus tinha o poder de o transformar, o mesmo teve a coragem de enfrentar a
multidão subir em uma arvore (figueira brava) pra ver o mestre e quem sabe com
aquele gesto atrair sua atenção de maneira que Cristo podesse sentir
compaixão dele e ajuda-lo naquele momento, a atitude foi tão nobre que de
longe Jesus vendo aquele homem na arvore (figueira brava) de fato chamou sua
atenção e ...
Eliézio Ferreira   |20-05-2009
Meu comentario acima eu o postei no blog do Pastor Ciro, porem até o momento
ele não poblicou, ao entrar no blog dele podemos verificar msg´s apenas
concordando com seu comentario, commentário esse que o Presbitero postou acima.
Estarei aguardando pra ver se minha opinião será apresentada, acreditando eu
que não será. Partindo desse principio assim fica facil eu posso postar uma
msg nos blog´s da vida e publicar apenas msg´s que enfatize o que publiquei. E
é claro que sempre existe os que sem aplicar o que aprenderam sobre
interpretação de texto na 3ª ou 4ª serie, leem superficial e dizem AMEM.
Não faço parte dos que siplesmente dizem AMEM sem analizar pois, quero fazer
parte dos bereianos que ao ouvir um sermão do Apostolo Paulo estavam lá
pesquisando e verificando se tinha fundamento o que ele pregava.
Em Cristo que
nos esclarece.
Wanderson   |21-05-2009
Gostaria de reconhecer o meu engano, em concorda com o pastor Ciro Sanches,
pois tive a infelicidade de não análisar os por menores desse texto,
me deixado leva pela primeira impressão, ou pela falta de sensibilidade
do pastor Ciro diante deste texto, até então não podia compreender,
a profundidade da historia de Zaqueu, de entender, o que se passava na
alma de Zaqueu, entender o que o levou a subir naquela árvore, um homen de posição, se humilhou, ao subir a árvore, na esperança, de ser visto
pelo Mestre, de ver tudo aquilo que ele Zaqueu, ja ouvirá de Jesus,
e então receber Jesus, com júbilo no coração, esta e a grande
lição que tiro deste texto, que devemos ter, o alma de Jesus (que ver o
pecado, o aflito e o contrito de coração), e ter o coração como o
de Zaqueu, sempre pronto para receber Jesus.

Em Cristo
Sandoval Juliano   |21-05-2009
Eu acho que você não deveria ter suprimido o primeiro comentário para que
nós pudéssemos avaliar o avanço no seu ponto de vista, o que não seria nada
vergonhoso, porque, como você mesmo admitiu, você se enganou...
Oliveira, W.   |20-05-2010
Mas a Bíblia não diz que Zaqueu queria que Jesus o visse! Mas que ele queria
ver a Jesus!
Wanderson   |21-05-2009
No primeiro comentário, eu disse que concordava com a analise do pastor Ciro
Sanches, e que muitos hinos que eram cantados nas nossas igreja as pessoas nao
sabia o verdadeiro sentido das músicas, muitos tinha heresias, e que isso
serviria de aviso para ficarmos atento ao que e cantado na nossa Igreja.
Lìvya Mara   |22-05-2009
Como conhecedora e estudiosa da Língua Portuguesa, causou-me estranheza e soou
até um pouco antipático o comentário do pastor sobre os evidentes erros
gramaticais no que tange ao uso do pronome oblíquo átono (na letra da música,
usou-se próclise no lugar da ênclise; incorreção do verbo fazer na 2ª
pessoa do singular no modo imperativo). Explico-me: trata-se de letra de uma
música, que nada mais é do que poesia, regida por uma melodia, onde palavras e
sons devem harmonizar-se, o que, muitas vezes, permite que o poeta/letrista
faça uso de licenças poéticas. Até os grandes poetas, como Vinícius de
Moraes, utilizou-se com frequencia de tais recursos. Portanto, caros amigos,
não nos apeguemos em detalhes para diminuir o trabalho criativo de nossos
irmãos. Lembremo-nos de que a poesia, mesmo a bíblica, deve ser cultivada e
apreciada pela sua essência e não deve curvar-se ao rigor formal.
Robson   |28-05-2011
Querido irmão Sandoval, admiro vc por sua lucidez na palavra, sua sabedoria,
mas não poderia deixar de discordar do amado irmão. Na verdade eu nunca achei
pastor assembleiano muito gabaritado para falar de musica, pois eu que tambem
sou obreiro( evangelista ) sempre vejo nossas criticas quando aparece uma musica
bem carregadas de nosso tradicionalismo e engessamento teologico, e fico
imaginando, há salmos na biblia que falam de Deus tirar suas sandalias e
colocar em uma bacia de agua, falam de Deus montar em um querubim e voar, então
agente as vezes fica querendo analisar tudo bem literalmente, mas na propria
harpa tem um hino que chama Jesus de lirio dos vales, quando na verdade em
cantares o lirio dos vales é a noiva, essa musica de Zaqueu é linda eu vejo
uma isnpiração bem profunda nela, o irmão sabe melhor do que eu que o
Espirito já estava operando em Zaqueu no momento que ele viu Jesus, e mais...
Paula   |28-05-2011
Robson, o pastor Ciro está bem equivocado nesta reflexão, em momento algum na
letra da musica diz que se largará família, emprego, bens, etc, etc, etc... A
mensagem é sobre colocar jesus em primeiro lugar em nossa vida, abandonar o que
não convém, é claro!
Robson  - Continuação...   |28-05-2011
... largar tudo, com certeza, as vezes vc sabe que Deus exige isso, e a
realidade irmão é que música é poesia não tem que combinar certinho com
tudo que a Biblia diz, literalmente, e quanto ao pastor Ciro, as vezes e muitas
vezes ele exagera mesmo, tipico de nós assembleianos, infelizmente nosso
radicalismo ainda nos atrapalha a servir a Deus, o irônico é que quantas
vezes em cultos por nós dirigidos a gente fala para os irmão: "Sinta a
presença de Deus" - ora Deus está ou não está dentro de nós?

Abraço
Comentário ...
Nome:
E-mail:
 
Website:
Título:
UBBCode:
[b] [i] [u] [url] [quote] [code] [img] 
 
 
:angry::0:confused::cheer:B):evil::silly::dry::lol::kiss::D:pinch:
:(:shock::X:side::):P:unsure::woohoo::huh::whistle:;):s
:!::?::idea::arrow:
 
Por favor coloque o código anti-spam que você lê na imagem.
  <== VOLTAR

Banner

Últimas do fórum

Últimos comentários

Acesso restrito

Visitantes on-line

Nós temos 377 visitantes online

Receber informativos